Filho de goleiro Bruno quer olhar nos olhos do pai quando crescer

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 12/06/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

Amor de mãe e filho não tem igual. Não há nada que se compare e nada que seja maior! É um amor maior, mais belo e incondicional aquele que uma mãe nutre pelo seu filho. ... 

Não sou uma mãe perfeita, mas sou a pessoa mais feliz do mundo por ter um filho como você que amo de coração. É um amor incondicional, capaz de tudo para o ver feliz. 

É o que conta Sônia Samudio, mãe de Eliza e detentora da guarda do garoto, que diz que ele quer confrontar o pai pessoalmente.

Em fase de transição para a maturidade, o menino, que não conheceu o pai e nem pôde conhecer a mãe, demonstrou desejo de encontrar-se com Bruno pela primeira vez, mas com altura suficiente para “olhá-lo nos olhos”.

– Ele me questionou sobre a morte da mãe porque se sente culpado pelo crime. Nunca tinha visto ele se revoltar ou ficar tão abalado. Vi meu neto socar o colchão dele com força…

[Eu] disse que ele não é culpado de nada. O único culpado nessa história é o pai – disse ao jornal Extra Sônia Moura, mãe de Eliza e detentora da guarda do menino desde que a filha desapareceu.

– Ninguém sabe, mas a Eliza foi goleira na escola também. Desde os 8 anos, ela era apaixonada por futebol, sonhava jogar profissionalmente e conhecer seu ídolo, Rogério Ceni, que também é o [ídolo] do meu neto – conta Sônia, que disse ter tentado influenciar o neto a gostar de outros esportes, mas sem sucesso.

Bruninho torce pelo São Paulo, mesmo time de Eliza Samúdio.

A avó da criança também fala sobre a dificuldade em receber ajuda financeira de Bruno, processo que já dura uma década.

– O processo de pensão alimentícia foi aberto quando minha filha ainda estava viva. Até hoje, Bruno não depositou um centavo para o filho. Nenhum oficial de Justiça consegue citá-lo.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
Você pode gostar