Médica usou máscaras diferentes por 5 minutos seguidos para conduzir um experimento para ver se diminuir o oxigênio quando usamos máscaras

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 15/01/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

COVID-19 é uma doença infeciosa causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2). Os sintomas mais comuns são febre, tosse seca e cansaço.

Entre outros sintomas menos comuns estão dores musculares, dor de garganta, dor de cabeça, congestão nasal, conjuntivite, perda do olfato e do paladar e erupções cutâneas.

Mesmo com as coisas gradualmente voltando a funcionar, devido a pandemia do Covid-19, temos que lidar com o “novo normal”.

Podemos perceber que o mundo realmente mudou e não temos escolhas a não ser seguir todas as recomendações.

Uma delas, é o uso obrigatório de máscaras e muitas pessoas reclamam que `não conseguem respirar usando máscara´, que se sentem sufocados e que acham que o nível de oxigênio diminui.

Assim, usam desse argumento como pretexto para tentar burlar os meios de nos protegermos de contrair ou contaminar outras pessoas pelo coronavírus, pois o vírus pode ser transmitido atráves da tosse, espirro e gotículas respiratórias.

Para desvendar tal mistério que a Dra. Megan Hall conduziu um experimento para testar a possível condição.

Ela usou máscaras diferentes por 5 minutos seguidos para ver como elas afetavam a frequência cardíaca e os níveis de oxigênio, através de um oxímetro de pulso.

Veja os resultados e, depois disso, acabaram-se as desculpas!

RESULTADOS:

Sem máscara: 98% oxigênio, 64 batimentos cardíacos 

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário