Criança de apenas 7 anos de idade leva o irmão mais novo para escola e emociona: ‘Não tem ninguém para cuidar dele’

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 21/07/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

Diz que a vida tá difícil, que ninguém valoriza você ou não tem nada que realmente quer: trocaria de lugar com um enfermo? Gostaria que todos que estão contigo se afastem? Se desfaria de tudo que tem? Não! Então VIVA.

Pior do que se estar triste e ter uma vida difícil é acordar e não ter um propósito para viver, não ter ninguém que o espere quando voltar do trabalho, ter espaço sobrando na sua cama, não arrancar sorrisos de pessoas queridas e não se perder no abraço de alguém.

Uma criança identificada apenas como Justin tomou uma atitude que surpreendeu a muitos. 

Com apenas 7 anos de idade, ele não quis perder as aulas apenas por ser o responsável pelo os cuidados de seu irmão mais novo. Nenhum outro parente poderia ficar com o seu irmão caçula.

Com isso, ao invés de abandonar a escola, Justin decidiu que iria levar o irmão pequeno junto com ele. Assim, ele dividia as tarefas com os cuidados ao seu irmão bebê.

A sua professora, Ma’Am Ley, ficou bastante surpresa ao ver o menino com o bebê sentado na cadeira escolar. Diante disso, ela perguntou o porquê ele havia tomado tal atitude.

“Não quero ter que ir embora, senhorita. Vou trazer meu irmão este ano porque minha avó tem que trabalhar na fazenda e não tem ninguém para cuidar dele”, explicou.

A professora, então, tirou a foto que está circulando em diversas redes sociais. Ela ajudou a compartilhar a história do menino, com a intenção de o ajudar.

Justin mora na Filipinas. Sua família não tem muita renda. A avó era responsável pelo os cuidados dos netos, mas com a situação cada vez pior, precisou ir trabalhar em uma fazenda. 

Justin, como o irmão mais velho, teria que ficar com o irmão e abandonar a escola. Mas, ele se recusou a deixar o local. Infelizmente, em diversas regiões da Ásia, a desigualdade predomina e crianças começam a trabalhar logo cedo.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário