Vídeo: Criança chorou e pediu que pai ficasse em casa, antes de embarcar em submarino que afundou e vitimizou 53 tripulantes

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 19/05/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

A m0rte ainda é um dos maiores mistérios da vida. É inevitável nos questionarmos o porquê de termos que nos despedir de alguém que amamos, ou mesmo temer o nosso próprio fim.

Perder um ente querido nos faz repensar a nossa existência e na importância de nossos familiares e amigos, principalmente dos que estão entre nós e que ainda podemos demonstrar o quanto os amamos e precisamos de cada um deles.

Um submarino indonésio afundou a cerca de pouco mais de 800 metros de profundeza, o que é controverso a sua capacidade e na embarcação estavam 53 tripulantes, dentre eles, o pai deste menininho de 2 anos.

O vídeo comovente onde a criança aparece implorando para o pai não ir trabalhar, viralizou nas redes sociais. Há informações que não há probabilidades de encontrar algum membro com vida. 

Contudo, nas imagens que causam dor no coração, o pequeno Aska, implora para o pai, o primeiro tenente Imam Adi, de 29 anos, não sair do quarto.

Como se fosse um pressagio, a criança empurra o militar de volta para o cômodo com uma mão, enquanto tenta fechar a porta com a outra. 

Entretanto, Imam ri do momento e da reação do filho, tenta supostamente justificar sua saída afirmando que o “papai precisa fazer xixi!”.

A criança continua insistentemente que o pai fique ali, ele então se ajoelha, tentando convencer o filho, mas novamente é repreendido: “Não, não, não, não”, continua a criança. Infelizmente, este teria sido o último momento e o último vídeo gravado juntos. 

Em entrevista, o pai do Militar e avó de Aska, afirmou que acredita que a reação do menino não tem haver com a tragédia, mesmo que tenha sido a primeira vez que Aska age desta forma.

A criança nunca tentou impedir que o pai saísse outras vezes, mas o senhor diz que não acredita que o neto de alguma forma “sentisse” que algo iria acontecer. “Talvez seja apenas uma coincidência“, disse ele.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
Você pode gostar