Jovem de 210kg m0rre de Covid; família fez vaquinha para pagar UTI aérea de R$ 50 mil

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 03/08/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

COVID-19 é uma doença infeciosa causada pelo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 (SARS-CoV-2). Os sintomas mais comuns são febre, tosse seca e cansaço.

Entre outros sintomas menos comuns estão dores musculares, dor de garganta, dor de cabeça, congestão nasal, conjuntivite, perda do olfato e do paladar e erupções cutâneas.

Lorrayne Camile Martins Gomes, de 27 anos, foi uma vítima da Covid-19 no Brasil. A jovem morava na cidade de Campinápolis, no Mato Grosso, e pesava cerca de 210 quilos. A obesidade é fator de risco para a doença causada pelo coronavírus.

Lorrayne havia tomado a primeira dose da vacina, mas aguardava a segunda, que tomaria neste mês de agosto. Antes disso, porém, a jovem contraiu a Covid e começou a apresentar sintomas graves.

 Ela foi internada em hospital de Água Boa, próximo a Campinápolis. Com oxigenação em 60%, ela precisou ser intubada. Como não havia leitos para pessoas acima de 140 quilos, a jovem precisou ser transferida para Cuiabá. 

O problema é que não havia transporte para a capital do estado. A família de Lorrayne precisou contar com a ajuda de muitas pessoas para arrecadar R$ 50 mil.

Este era o valor cobrado por uma empresa de transporte com UTI aérea de Goiás. Lorrayne trabalhava como auxiliar na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de sua cidade natal. 

A associação se engajou na arrecadação junto a comerciantes e moradores. O dinheiro foi arrecadado em algumas horas.

A transferência, porém, só aconteceu no dia seguinte. “Problemas burocráticos com o banco e a empresa”, explicou Elvis Presley, presidente da associação, ao G1. 

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
Você pode gostar