Menino de 12 anos trabalha duro para ajudar sua mãe adotiva: ‘enquanto eu tiver forças, nada faltará’

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 14/07/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

A maioria das pessoas não quer realmente a liberdade, pois liberdade envolve responsabilidade, e a maioria das pessoas tem medo de responsabilidade.

Você não consegue escapar da responsabilidade de amanhã esquivando-se dela hoje. Se quer que seus filhos tenham os pés no chão, coloque-lhes algumas responsabilidades nos ombros.

É fato que o trabalho infantil – ou pelo menos de menores de 14 anos – é proibido no Brasil. Mas há casos em que alguém com menos de 14 anos trabalhar não significa que está sendo explorado.

Pois, desde cedo, está aprendendo que a realidade em que vive exige que colabore para uma melhor qualidade de vida para seus entes queridos.

Erikson tem apenas 12 anos, mas não está se dedicando a passar o dia estudando e jogando com os amigos – como a maioria dos garotos de sua idade.

Ele precisa trabalhar para ajudar a família. O jovem é adotado e tem enorme devoção por sua mãe adotiva, Célia, de 57 anos.

O garoto começou a trabalhar em uma feira, oferecendo para carregar as sacolas das pessoas que compram por ali. Ele leva um carrinho de mão e carrega as sacolas e pacotes no equipamento de construção, tornando o trabalho mais rápido.

Após carregar as compras, ele recebe alguns trocados das pessoas em agradecimento, que ele usa para comprar comida e levar para casa.

A história do garoto foi divulgada no Instagram e acabou virando assunto nas redes sociais. Erikson ganhou doações, mas não vai deixar de trabalhar. Ele tem sonhos e quer dar uma melhor condição de vida aos pais e ao irmão.

O adolescente declarou seu amor pela mãe e garantiu com muita convicção: “Enquanto eu tiver forças, nada faltará em casa”. Sua mãe se sente orgulhosa do bom coração do filho.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
Você pode gostar