Vídeo: Médicos da Índia alertam moradores a não usar banho de esterco bovino contra a Covid-19

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 13/05/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

Caos. Fome. Pobreza. Tristeza. Bilhões batalhando apenas para sobreviver. A vida parece um filme de tristeza. Ninguém sabe ao certo o que nos espera nas próximas semanas e nos próximos meses.

O vírus mais perigoso do mundo tomou conta de tudo e todos, atrapalhando os avanços que a raça humana tinha plena capacidade de realizar.

O futuro é sombrio, e as pessoas perderam a esperança. O foco é um só: não m0rrer. A vida perdeu o brilho.

Médicos fizeram um alerta a princípio para a população da índia, sobre o uso de esterco e urina de vaca em seus próprios corpos, já que acreditam na cura da covid-19 por esse meio, e também no aumento da imunidade de seus corpos.

Segundo as informações, milhares de pessoas tem ido aos currais para se exporem as vezes do animal, e até mesmo algu ns médicos fazem o procedimento acreditando que ficaram mais imunes a covid-19, e poderem trabalhar com mais facilidade nos hospitais.

Vale lembrar que a vaca é um dos animais mais sagrados da índia. É um símbolo da vida e da terra. Segundo o G1, durante séculos os hindus utilizaram estrume de vaca em rituais religiosos.

Eles acreditam que o material tem propriedades terapêuticas.

“Vemos até mesmo médicos aqui. A crença deles é que essa terapia melhora a imunidade e que eles podem atender os pacientes sem receio”, afirmou Gautam Manilal Borisa, gerente de uma empresa farmacêutica.

J.A. Jayalal, presidente da Associação Médica Indiana, disse que não há nenhuma comprovação científica de que estrume e urina de vaca fortalecem a imunidade contra a Covid-19.

“Há risco à saúde ao usar esses produtos. Doenças dos animais podem contaminar os humanos”, concluiu. Eles tem se agarrado a suas religiões, mesmo que para nós pareça algo diferente e estranho, não podemos julgar.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
Você pode gostar