Variante 'Mu': OMS passa a monitorar nova cepa do coronavírus; “Força Deus proteja sempre amém”

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 03/09/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

Ao espirrar ou tossir, estas gotículas podem ser inaladas ou atingir diretamente a boca, nariz ou olhos de pessoas em contacto próximo. O intervalo de tempo entre a exposição ao vírus e o início dos sintomas é de 2 a 14 dias, sendo em média 5 dias.

Entre os fatores de risco estão a idade avançada e doenças crónicas graves como doenças cardiovasculares, diabetes ou doenças pulmonares.

O Ministério da Saúde divulgou um balanço nesta quinta-feira, 2, com os números da pandemia de covid-19 no Brasil, de acordo com dados das secretarias estaduais de Saúde. O país tem 581.914 óbitos e 20.830.495 casos confirmados da doença.

O balanço, atualizado às 19 horas, mostra que no período de um dia foram registradas 764 vítimas e 26.280 testes reagentes para o coronavírus.

A média móvel, que contabiliza o número de óbitos da última semana, é de 621. Há uma semana este valor está abaixo de 700. A média de casos é de 21.991.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) está monitorando uma nova variante do coronavírus chamada “Mu”, também conhecida como B.1.621. A cepa tem mutações que indicam que ela tem o potencial de escapar da imunidade fornecida pela vacina ou por uma infecção anterior.

Identificada pela primeira vez na Colômbia, a cepa já é responsável por 4.600 casos em pelo menos 40 países, sendo quase 2.000 casos somente dos Estados Unidos.

De acordo com o relatório da OMS, a Mu “tem uma constelação de mutações que indicam propriedades potenciais de escape imunológico”.

As mutações principais são a E484K, relacionada a um escape imunológico parcial e encontrada na Beta e Gama, e a N501Y (ou Nelly) que está presente na Alfa e pode significar uma transmissibilidade maior.

No Brasil, 10 casos da variante Mu já foram registrados. Os primeiros dois foram por conta dos Jogos da Copa América: duas pessoas da delegação colombiana, que jogaram em Cuiabá contra o Equador em 13 de junho, foram detectadas com a cepa.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
Você pode gostar