Homem ganha 211 milhões de dólares na carteira virtual de Bitcoins mas após beber muito esquece senha: "já tentei 8 vezes desde 2012, e me restam 2 tentativas"

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 01/02/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

O bitcoin foi um dos investimentos que mais se valorizaram no mundo em 2020, saltando de US$ 7.300 para US$ 29.433, uma alta de 303%.

Em reais, a criptomoeda passou de R$ 29.399 para R$ 152.700, diante da valorização do dólar em relação à moeda brasileira, uma alta de 419%, segundo a empresa de informações financeiras Economatica.

Um dos primeiros investidores na moeda Bitcoin, quando ela ainda valia 2 dólares, pediu que Stefan Thomas fizesse um mini-documentário educativo sobre a moeda, usando animações, ao estilo TV Cultura.

Isso foi em 2011, e o homem aceitou o trabalho, recebendo em troca 7.002 Bitcoins, o que valeria uns 14.000 dólares. Decidiu ele que deixaria aquilo ali e um dia, caso a moeda valorizasse, retiraria tudo pra comprar alguma coisa.

Mas após beber muito, ele esqueceu algo fundamental pra que pudesse reaver o seu dinheiro : a senha.

Em 2012, 1 anos depois, foi a primeira vez em que ele percebeu que havia esquecido sua senha, pois ele foi conferir após uma valorização da moeda.

Como sabemos hoje, a moeda teve uma hiper-valorização, enriquecendo a todos que investiram na moeda quando ela ainda estava em suas fases iniciais (e agora empobrece muitos que caem em pirâmides financeiras que prometem enriquecimento com Bitcoin).

Hoje ele tem 211 milhões de dólares na sua carteira virtual de Bitcoins, o equivalente a 1,1 bilhão de reais.

Mas ainda há mais: acrescida à frustração mnemônica do homem, há também tensão por conta de uma particularidade de sua carteira virtual.

As moedas estão em um disco rígido feito pra isso conhecido como IronKey, onde os códigos de suas moedas estão criptografados, e só a sua senha pode liberá-las.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
Você pode gostar