Parceiro de palco do Faustão faleceu: "teste para Covid deu positivou, ele teve duas paradas cardíacas e não aguentou."

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 05/01/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

Fausto Corrêa da Silva, popularmente conhecido como Faustão, é um apresentador de televisão, radialista, repórter e casualmente ator brasileiro.

Célebre por apresentar o programa de auditório Domingão do Faustão, da Rede Globo, desde 1989.

Quem acompanha o Domingão do Faustão há muito tempo na Globo deve se recordar do Gaúcho. Era o cameraman e um dos parceiros de palco do apresentador na emissora.

Ivalino, operador de câmera famoso como Gaúcho no Domingão da Globo, faleceu no dia 28 de dezembro, aos 81 anos, por complicações do novo coronavírus.

Segundo Ruth Gomes, viúva de Ivalino, ele foi hospitalizado na véspera de Natal, no Hospital Geral do Ingá, em Niterói.

O ex-funcionário do Faustão apresentava problemas pulmonares. No dia 28, contudo, ele teve duas paradas cardíacas e não aguentou.

Além da esposa, ele deixa 4 filhos, 4 netos e 1 bisneto, como informa a revista Quem. “Ele vinha sofrendo de Mal de Parkinson há 24 anos, desde que saiu da TV Globo, em 1996.

Apesar de ser uma doença progressiva, ele levava uma vida normal”, contou a mulher para a revista.

A esposa do Gaúcho do Domingão do Faustão falou sobre o mistério. “A grande dúvida é sobre como ele pegou Covid. Porque seguíamos todos os protocolos, o uso de máscara, álcool gel, isolamento.

Ele foi para o hospital porque apresentou um problema no pulmão. Lá, o primeiro teste para Covid deu negativo, já o segundo positivou.

Aí o problema pulmonar se agravou e a médica entrou com azitromicina, que é a medicação usada para o novo coronavírus”, falou ela, sobre a famosa cloroquina.

No Domingão do Faustão, onde ficou de 1989 a 1996, Gaúcho era famoso por “nunca sorrir” para as câmeras. A esse respeito, Ruth recorda. “Ele era uma pessoa doce e alegre.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
Você pode gostar