Mulher é liberada por médicos e acaba dando à luz na calçada do hospital: ‘caiu no chão’

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 11/07/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

A servidora pública Heloísa de Almeida, de 34 anos, deu à luz na calçada em frente à maternidade, com a ajuda do marido, Fábio Palmeira, de 37 anos, e do vendedor de caldo de cana Walter Prado, que estava no local, em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo. As informações são da Crescer.

O parto aconteceu minutos depois de Heloísa ter recebido alta do hospital. Em 12 de junho, ela deu entrada no Centro de Referência em Saúde da Mulher com fortes dores.

Com ajuda do marido e do vendedor de caldo de cana, Walter Prado, ela deu à luz. O Hospital afirma, em nota, que Heloisa foi socorrida tão pronto a equipe médica percebeu que se tratava de um parto precipitado.

Heloisa, no entanto, narra uma situação diferente. Ela conta que chegou no hospital por volta das 7h da manhã, quando chegou a ser atendida na enfermaria e mantida para observação.

4 horas depois, ela narra ter rompido a bolsa, inclusive molhando a maca do hospital.

Apesar disso, a médica que fazia o atendimento “falou que a bolsa não tinha estourado, que a perda de líquido era normal e que era para eu ir embora porque não estava dilatando“.

Na calçada do hospital, acompanhada do marido, a servidora pública percebeu que estava prestes a dar à luz. O marido estava na outra calçada comprando água, quando percebeu a mulher entrando em trabalho de parto.

“Eu tirei a calça e ela nasceu, caiu no chão. Meu marido me segurava para eu não cair em cima dela, enquanto eu gritava“, narra Heloisa.

Walter, o vendedor de caldo de cana, correu para socorrer e foi o primeiro a pegar a bebê e colocá-la no colo da mãe.

Depois disso, chegaram enfermeiros para socorrê-la e levá-la para dentro da maternidade. Apesar do susto, Heloisa ficou internada apenas dois dias com a filha e as duas receberam alta logo depois.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
Você pode gostar