Luto: Aos 58 anos, Senador Major Olimpio m0rre hoje após complicações de covid-19

Matérias Oficiais(+10% Clicks) - Beatriz 18/03/2021 Relatar Quero comentar
 
Olá pessoal! 

Siga para saber todas as notícias e muito mais em primeira mão! Se gostou das notícias, não esquece de compartilhar com seu amigos.

Sérgio Olímpio Gomes (Presidente Venceslau, 20 de março de 1962 – São Paulo, 18 de março de 2021), mais conhecido como Major Olímpio, foi um policial militar e político brasileiro, filiado ao Partido Social Liberal (PSL).

O senador Major Olimpio (PSL-SP), de 58 anos, teve m0rte cerebral, nesta quinta-feira (18), após ter contraído Covid-19. A informação foi confirmada pela família nas redes sociais do político. Ele deixa esposa e dois filhos. 

“Com muita dor no coração, comunicamos a m0rte cerebral do grande pai, irmão e amigo, senador Major Olimpio. Por lei a família terá que aguardar 12 horas para confirmação do óbit0 e está verificando quais órgãos serão doados. Obrigado por tudo que fez por nós, pelo nosso Brasil”, escreveu a família.

Segundo um post na conta oficial do Twitter do senador, a família de Olimpio informava que ele m0rreu por m0rte cerebral.

Ele estava internado na UTI do hospital São Camilo em São Paulo em estado grave e foi intubado algumas vezes.

Segundo o portal da IstoÉ, Olimpio havia sido intubado pela primeira vez no dia 6 de março até o dia 9, quando apresentou melhora. Mas retornou à intubação na quarta-feira (10), após ter piora novamente.

Ele teria se contaminado durante “romaria” de prefeitos até o Congresso Nacional. Os comandantes dos Executivos municipais buscavam mais recursos para emendas.

Também se infectaram no evento Alessandro Vieira (SE), líder do Cidadania no Senado, e o senador Lasier Martins (Podemos-RS).

“O Brasil perde um parlamentar combativo pelo respeito aos valores institucionais do Estado Democrático brasileiro. Solidarizo-me com o Congresso Nacional e com a família do senador. Envio ainda meu abraço aos familiares das mais de 285 mil vítimas da Covid-19 no Brasil”, disse o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Luiz Fux. 

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
Você pode gostar